Notícia esportiva em primeiro lugar!

Andressa Oliveira de Morais conquista o ouro e garante a vaga para a Olimpíada de Londres

Andressa Oliveira de Morais conquista o ouro e garante a vaga para a Olimpíada de Londres

No terceiro dia de Troféu Brasil de Atletismo a pinheirense carimbou o passaporte para os Jogos Olímpicos e o atleta Gladson Barbosa conquistou o primeiro lugar do pódio na prova dos 3.000m com obstáculos

Nessa sexta-feira, a paraibana Andressa Oliveira de Morais e Gladson Barbosa foram os grandes destaques do Troféu Brasil de Atletismo, que acontece até domingo no Conjunto Desportivo Constâncio Vaz Guimarães, localizado na região do Ibirapuera.

A paraibana Andressa levou o ouro com a marca de 58m80 e assegurou a sua primeira participação em Jogos Olímpicos com a marca de 64m21, conquistada na Venezuela. “Para a Olimpíada estou garantida. Mas o pódio do Troféu Brasil era um título que eu não tinha e queria muito, estou feliz. Agora, o objetivo é focar em Londres, vou tentar fazer o meu melhor, quero chegar à final olímpica”, afirma a atleta de 21 anos.

Com 8m48s76, o pinheirense Gladson garantiu a medalha de ouro nos 3.000 metros com obstáculos. “Eu sabia que tinha três ou quatro atletas em condições de vencer a prova. Então, eu e o Claudio (Castilho) adotamos um estilo mais agressivo na hora de finalizar a competição e deu certo. Fiquei satisfeito com o resultado, o tempo não era o principal objetivo, mas sim, o primeiro lugar”, diz.

A prova dos 800 metros rasos contou, ainda, com a medalha de prata de Christiane Ritz (2m05s52) e a de bronze de Tatiana Araujo (2m05s55), e no salto com vara João Gabriel Sousa ficou com a medalha de prata (5m40).

Ao final do terceiro dia de competição, o Pinheiros continua em segundo lugar, com 130 pontos, atrás do Clube de Atletismo BM&F Bovespa, que têm 359 pontos.

Além de Adriana Aparecida da Silva (maratona), Andressa Oliveira de Morais (lançamento do disco), Fabiano Peçanha (800m rasos), Geisa Arcanjo (arremesso do peso), Guilherme Cobbo (salto em altura), Kleberson Davide (800m rasos), Laila Ferrer (lançamento do dardo) e Sandro Viana (200m rasos) – atletas com o índice olímpico até o momento, nomes como Franciela Krasucki, Vanda Ferreira Gomes e Lutimar Paes ainda brigam por índice. Jovens talentos como Paulo Enrique (lançamento do dado) e Felipe Siqueira (decatlo), que irão competir no Mundial Juvenil 2012, em Barcelona, são outros destaques da equipe pinheirense neste Troféu Brasil.

Mais dois paraibanos no pódio – Basílio Emidio ganha ouro e Jailma Sales bronze

As mulheres do Clube de Atletismo BM&FBOVESPA brilharam no terceiro dia de competições do Troféu Brasil de Atletismo, nesta sexta-feira (29/6), em São Paulo, na pista do Estádio Ícaro de Castro Melo, o Ibirapuera. No fim da quinta etapa, elas ajudaram o Clube a permanecer na liderança da competição, com 378 pontos. O Pinheiros é o segundo, com 130, e a Orcampi Unimed, em terceiro, tem 79.

Juliana Gomes dos Santos fez o marido e maratonista Marílson Gomes dos Santos ficar nervoso ao vencer os 800 metros, vinda de trás, num sprint incrível nos últimos 30 metros. Juliana fez 2min05s20 para levar a medalha de ouro. Dividiu o pódio com Christiane Ritz dos Santos (2min05s52) e Tatiana de Souza Araújo (2min05s55), do Pinheiros.

“O Adauto Domingues (técnico), o Marílson, minha família… Era todo mundo me dando força. Antes de eu entrar na pista, o Adauto me disse: ‘Vai que agora é só ter coragem, o que tinha de treinar já treinou.’ Ele havia dito para eu segurar e vir para o sprint. Os 800 metros são uma prova dura e, no final, todo mundo iria cansar. Deu certo”, disse Juliana, mãe de Miguel, seu filho com Marílson, que está com um ano e quatro meses. Desde que voltou a correr, após a gravidez, esta foi a sua segunda prova. “Eu só havia corrido uma vez, mas para me ranquear para o Troféu Brasil. Essa vitória representa muito para mim porque na minha volta, depois do nascimento do Miguel, sofri com lesões.” Foi seu terceiro título do Troféu Brasil nos 800 m, mas neste domingo ainda competirá nos 1.500 m.

O Clube de Atletismo BM&FBOVESPA fez pódio triplo nos 400 m com Geisa Coutinho, ouro (51s46), Joelma das Neves Souza, prata (51s54), e Jailma Sales de Lima, bronze (52s74). “Estou muito feliz. Fiz uma corrida boa, apesar desta ser uma temporada em que tive de parar muitas vezes por causa de uma fratura por estresse no pé. A Joelma melhorou o seu tempo, a Jailma melhorou também a marca na temporada. Será bom representar bem o Brasil no revezamento 4×400 m”, disse Geisa. Joelma comemorou o melhor tempo de sua carreira na prova. “Nosso revezamento vai ficar mais forte e isso é bom”, completou Joelma.

Maíla Paula Machado comemorou o ouro nos 100 m com barreiras e o seu sétimo título no Troféu Brasil – 13s31. A atleta do Clube BM&FBOVESPA dividiu o pódio com Gisele de Albuquerque, (da Orcampi/Unimed, em 13s34), e Fabiana dos Santos Moraes (ADC Absalão, em 13s46). “Eu queria o índice olímpico, mas no ano que vem, no Mundial, eu não vou ficar de fora”, disse Maíla que fez uma boa base, mas depois teve de parar por causa de uma lesão no tendão do pé esquerdo.

Num dia de histórias de superação e de medalhas para as mulheres o revezamento 4×100 metros também levou o ouro, com Rosemar Coelho Neto, Thaissa Barbosa Presti, Lucimar de Moura e Tânia Ferreira da Silva (44s65). Tânia, uma especialista no salto triplo, substitutiu Ana Cláudia Lemos Silva, poupada para os 200 m, no revezamento. “Muito bom poder ajudar as minhas parceiras. Eu só corro 40 metros, para o salto”, brincou. “Mas peguei o bastão na frente e tentei colocar o time mais na frente ainda”. Thaíssa disse que a BM&FBOVESPA era favorita e todas carregaram a responsabilidade de vencer.

Nos 5.000 metros, medalha de ouro para Cruz Nonata, com 15min36s57, novo recorde do Troféu Brasil. A medalha de prata ficou com Fabiana Cristine da Silva, também do Clube BM&FBOVESPA, que marcou 16min14s76. Tatiele Roberta de Carvalho, da Orcampi/Unimed, levou o bronze, com 17min04s87.

“Não deu certo”, disse Cruz, que tentava o índice olímpico nos 5.000 m – na abertura do Troféu Brasil, no dia 27/6, a fundista já havia visto o índice olímpico para os 10.000 m escapar por muito pouco. “Agora é levantar a cabeça e seguir em frente. Os 10.000 m foram muito rápidos, não houve tempo suficiente para a recuperação.”

Fabiana Cristine, que ficou com a prata, disse que o plano era “puxar” a prova para a companheira de equipe BM&FBOVESPA nas primeiras cinco voltas e, ao mesmo tempo, melhorar sua marca. “Não deu, mas nós tentamos”, concluiu, com os olhos marejados.

No heptatlo, Melry Neri Caldeira levou a medalha de bronze, com 5.376 pontos. A prova foi vencida por Lucimara Silvestre da Silva (FCTE), com 6.026 pontos, com Vanessa Spinola em segundo (5.507 pontos). No lançamento do disco, Fernanda Borges também foi bronze, com 57,44 m. A prova foi vencida por Andressa Oliveira de Morais (Pinheiros), com 58,80 m e a prata foi para a chilena Karen Gallardo, com 58,15 m.

Mais medalhas

O Clube de Atletismo BM&FBOVESPA ainda terminou o dia com mais dois ouros, com os homens, ganhos por Fábio Gomes da Silva, no salto com vara (5,40 m) e o revezamento 4×100 m – Basílio de Moraes Jr., Eric Sigaki, Nilson André e Aílson Feitosa formaram a equipe que cruzou em 40s91. As outras duas medalhas, de prata e de bronze, vieram nos 3.000 m com obstáculos, com Hudson de Souza (8min48s77) e Celso Ficagna (8min52s98), respectivamente.

Deixe um comentário