Notícia esportiva em primeiro lugar!

André Rocha bate primeiro recorde mundial do Open Internacional Loterias Caixa de Atletismo, em SP

 Atleta paulista do arremesso de peso quebra marca de dez anos e torna-se o único a ter recordes mundiais em duas classes diferentes; evento com 400 atletas de 13 países se estenderá até sábado, 28
André Rocha, atleta do arremesso de peso, bateu nesta sexta-feira, 27, o primeiro recorde mundial no Open Internacional Loterias Caixa de Atletismo e Natação. No CT Paralímpico, em São Paulo (SP), ele alcançou a marca de 8,73m – 1 centímetro a mais do que o antigo recordista da classe F53, o mexicano Mauro Maximo de Jesus. Outros sete recordes já foram batidos no evento, sendo quatro por brasileiros e três, americanos. A competição se estenderá até sábado, 28.
Quatrocentos atletas, dos quais 226 do atletismo e 174 da natação, participam do Open Internacional Loterias Caixa. Ao todo, 13 países estão representados: África do Sul, Argentina, Brasil, Chile, Cuba, Equador, El Salvador, Gana, Israel, México, Peru, Portugal e Turquia. As disputas da natação fazem parte da World Series, circuito organizado pelo Comitê Paralímpico Internacional (IPC, em inglês), assim como o atletismo faz parte do Grand Prix, também do IPC.
André superou uma marca que perdurava desde os Jogos de Pequim, em 2008. Agora, torna-se o único atleta do arremesso de peso a deter dois recordes em classes diferentes, já que também é o atual dono da marca mundial da classe F52, com 11,52m. Como o Open foi a sua primeira competição internacional da temporada, André foi submetido a uma nova avaliação de classificação funcional, que o levou à F53, para atletas com menor grau de deficiência.
“Consegui esta marca logo na primeira tentativa. Eu estava me sentindo bem, mas também bastante ansioso. Parecia a primeira vez que ia competir no arremesso de peso. Ainda bem que consegui uma boa marca. A banca de avaliação interpretou que a minha deficiência e o problema que tenho nas mãos e no punho, na verdade, se enquadrariam nas duas classes, mas acabaram optando pela F53, o que foi muito bom para mim, porque essa é justamente a prova que vai ter nos Jogos Paralímpicos em Tóquio e é a prova que eu mais gosto”, disse André.
Ainda como policial militar, durante uma perseguição em 2005, o atleta de Taubaté caiu de um muro e sofreu uma lesão na coluna. Somente oito anos depois, em 2013, que conheceu o programa de esporte da prefeitura e iniciou no atletismo. Em 2015, garantiu sua primeira conquista na modalidade, a medalha de prata no arremesso de peso nos Jogos Parapan-Americanos de Toronto 2015.
Por causa da lesão medular, não conseguiu disputar os Jogos Paralímpicos do Rio 2016, mas, no ano seguinte, sagrou-se campeão mundial no arremesso de peso da classe F52 em pleno Estádio Olímpico de Londres.
Na piscina do CT Paralímpico, a manhã desta sexta-feira foi repleta de provas rápidas, com os 50m livre e costas. Caíram na água nadadores consagrados, como Daniel Dias (classe S5), Phelipe Rodrigues (S10), Edênia Garcia (S4) e Susana Schnarndorf (S4), todos classificados para as finais, que acontecem a partir das 17h (de Brasília).
Daniel classificou-se com o melhor Índice Técnico Competitivo (ITC) nos 50m livre, seguido por Phelipe. Na mesma prova, no feminino, Cecília Araujo (S8) entrou para a final com o segundo melhor ITC. Na prova dos 50m costas, Edênia e Susana cravaram o terceiro e quarto índices, respectivamente.

Deixe um comentário

Error, no Block ID set! Check your syntax!