Notícia esportiva em primeiro lugar!

Andressa de Morais no site da IAAF

A brasileira Andressa Oliveira de Morais está na capa do site da Associação Internacional das Federações de Atletismo (IAAF). No espaço entram apenas atletas top, que tenham estabelecido marcas importantes ou realizado conquistas significativas.

Andressa preenche esses requisitos. Este ano, ela disputou várias etapas da Liga Diamante e foi à final do lançamento do disco, disputada em Bruxelas, na Bélgica, em 31 de agosto, quando ganhou a medalha de prata.

Este ano sua melhor marca foi 65,10 m, obtida com a vitória no Grande Prêmio Brasil Caixa de Atletismo, em 8 de julho, no Estádio do CNDA, em Bragança Paulista. A marca coloca Andressa em 7º lugar no Ranking Mundial e se constitui em novo recorde sul-americano. Andressa defende o Pinheiros e treina com o técnico cubano Julián Mejía.

A atiradora de disco brasileira Andressa de Morais tem desfrutado de uma temporada de breakout em 2018. A recordista sul-americana diz que seu segundo lugar na final da IAAF Diamond League foi seu destaque na carreira, enquanto um período difícil após os Jogos Olímpicos de 2012 foi um momento baixo.

ALTO

O 2018 inteiro foi um ano glorioso, mas o destaque ficou em segundo lugar na final da Liga Diamante, em Bruxelas.

Durante o período de preparação para a temporada de 2018 ao ar livre, mudei alguns elementos no meu treinamento. Com o meu treinador (Julian Baloy Mejias Silva) trabalhei mais na minha velocidade no círculo. Isso me fez sentir mais leve e mais rápido no círculo e levou a resultados muito melhores.

Esta temporada também foi diferente em termos de planejamento competitivo. Em 2018 eu tinha uma ideia muito melhor de onde eu estava competindo. Isso permitiu uma preparação muito melhor, enquanto nas temporadas anteriores eu voltava a treinar com luz durante o curso da temporada e perdia um trabalho mais pesado.

Quebrar o recorde sul-americano (com 65,10m em Bragança Paulista em julho) foi muito especial, mas o que me deixa mais orgulhoso é que eu consegui me sair tão bem na final da Liga Diamante.

No início da competição cometi alguns erros técnicos (De Morais não conseguiu marcar mais de 60 metros com os quatro primeiros lances), mas compreendi os erros que cometia, mantive-me calmo e corrigi-os. Na quinta rodada eu joguei 62,16m antes de soltar 64,65m na sexta rodada por segundo atrás de Yaime Perez (65,00m).

Fiquei muito feliz com o desempenho até que vi o vídeo alguns dias depois, onde fiquei surpreso e um pouco triste porque também joguei 65m. Não importa o resultado, fiquei muito feliz de estar lá em cima com o melhor do mundo.

BAIXO

Meu baixo período veio depois das Olimpíadas de Londres 2012 (De Morais ficou em 15º na classificação). Mais tarde naquele ano, passei por uma cirurgia de cisto no ovário e isso me obrigou a tirar três meses de treinamento de novembro a janeiro de 2013. Mais tarde, naquele mesmo ano, peguei uma hérnia. Para maio e junho daquele ano, consegui lidar com a dor até que se tornou demais. Liguei para um final prematuro da temporada e perdi o Campeonato Mundial em Moscou.

Eu decidi não fazer cirurgia e descansar, mas em 2014 eu estava no meu mais baixo e senti vontade de desistir do esporte. Eu estive longe de treinar por um período tão longo que meus resultados tanto em treinamento quanto em competições foram muito ruins.

Se não fosse pelo meu marido (Everton), eu teria me afastado do esporte. Foi ele quem me incentivou e me motivou todos os dias. Ele me disse para não desistir e foi graças ao seu total apoio que me comprometi totalmente a continuar no esporte em 2015.

 

Steve Landells pela IAAF

Deixe um comentário