Notícia esportiva em primeiro lugar!

Erros e acertos

Opinião de Adamastor Chaves

O treinador do Botafogo, senhor Francisco Dia, tem se comportado com altos e baixos no comando técnico da equipe. Começou empatando diante do fraco América – e por pouco não sai derrotado do Almeidão – perdeu em Salvador para o Vitória, jogando bem, e recuperou parte do prestígio vencendo o Sergipe no Almeidão e depois o Ceará no Castelão, em Fortaleza.

Diante do Náutico, que anunciava uma equipe mesclada entre titulares e suplentes, visto estar disputando a Segundona (B), mesmos com os desfalques de Ricardo Oliveira e Camilo era esperada a vitória, principalmente por estar atuando dentro de seus domínios com o apoio dos poucos torcedores que tem comparecido ao estádio.

As modificações, forçadas, processadas pelo treinador não deram o resultado esperado. Zaqueu atuando na zaga – formação 3.5.2 – não rendeu o esperado haja vista ser um volante de proteção e entrou numa posição de combate final onde o recurso aplicado foi a jogada viril facilitando marcações de faltas na entrada da área. Mesmo assim não comprometeu, embora não tenha ajudado muito.

Outra mudança desagradável foi a troca do lateral Camilo por Nininho. Camilo não reunia condições de jogo por contusão e Nininho entrou no seu lugar, em nada contribuiu para o Botafogo tentar chegar a vitória. Não defendeu, nem apoiou, deixando o sistema defensivo preocupado, principalmente Zaqueu comprometido em fazer sua cobertura.

A grande surpresa foi Chapinha que, além de ter sido o autor do único gol do Botafogo – por sinal de bela feitura – foi, inegavelmente, o melhor jogador em campo mesmo atuando a maior parte do tempo com uma faixa na cabeça por ter sofrido profundo golpe e receber, ainda no estádio, vários pontos no local atingido. Só não entendi a sua saída do Chapinha quando era o jogador mais lúcido, embora contundido na cabeça, e que estava levando o Botafogo pra cima do Náutico.

No dia 5 de agosto se comemora em João Pessoa a Festa da Padroeira da Cidade, Nossa Senhora das Neves, e a fundação da cidade, data bastante comemorada pelos pessoenses, Coincidentemente nesse dia o clube da Capital joga em Campina Grande diante do Treze. A sorte do Diá está lançada. Se vencer, vai em frente. Se perder pode “afundar” no comando técnico da equipe.

Deixe um comentário