Notícia esportiva em primeiro lugar!

Governo Federal reduz valor do bolsa atleta

O último alto do Governo Michel Temer foi um duro golpe para o esporte brasileiro de formação. O Ministério do Esporte anunciou, nesta sexta-feira (28 de dezembro), a lista de contemplados no programa Bolsa Atleta, para quem receberá os seus benefícios a partir de 2019. O governo, de forma surpreendente, reduziu pela metade os valores que serão pagos e o número de atletas contemplados.

“A CBB fez uma análise minuciosa de quem estava sendo contemplado pelo programa Bolsa Atleta na modalidade e logo corrigiu algumas imperfeições que estavam acontecendo. Agora, quase no final do ano, fomos surpreendidos com algumas medidas do Ministério do Esporte, que reduz drasticamente o repasse; é mais um golpe duro para o trabalho de quem luta para fazer o esporte nacional crescer”, comentou Marcelo Sousa, diretor-executivo da Confederação Brasileira de Basketball (CBB).

“Esta foi uma medida de quem não vive o dia a dia do esporte, pois restam poucos dias para a transição do Governo Federal, que surpreendeu e afetou negativamente a vida de muitos atletas. Na verdade, tal ação mostra um despreparo grande e uma tremenda falta de conhecimento de como funciona o esporte no Brasil”, complementou Sousa.

Na visão de Alberto Murray, presidente do Conselho de Ética do Comitê Olímpico do Brasil, faltou critério para o Governo Federal. “Entendo que o País está quebrado, que o governo tem que reduzir despesas e o modelo em que o Estado toma conta de tudo indiscriminadamente não funciona. É necessário haver racionalidade. O erro grosseiro, entretanto, cometido pelo governo Michel Temer e seu Ministério do Esporte, foi a absoluta falta de critérios e transparência para adoção do novo modelo. O Ministério do Esporte não publicou os critérios que usou para a distribuição dos recursos”, comentou.

“Foi uma ação nebulosa do Ministério do Esporte. Para quem conhece esporte e sabe vários dos resultados, infere, facilmente, que o método usado foi o da ‘bolinha’, sorteio, feito por gente que não entende nada do assunto. No Bolsa Atleta Nacional para atletas das equipes brasileiras da base, há gente com os mesmos resultados, em provas com os mesmos pesos, sendo que uns ganharam bolsa atleta e outros ficaram de fora”, complementou Murray.

Além do já citado corte, as 12 parcelas que seriam pagas para o programa Bolsa Atleta internacional foram reduzidas a apenas três. “Os atletas programaram o ano esportivo de 2019 baseados no recebimento do Bolsa Atleta, que sempre foi uma receita certa. Agora terão que alterar seus planejamentos abruptamente”, finalizou Marcelo Sousa.

Deixe um comentário