Notícia esportiva em primeiro lugar!

Paraibano é destaque no surf

O principal e mais tradicional campeonato de surf do Brasil recomeçou. Com ondas que garantiram ótimos tubos, o Oi Hang Loose Pro Contest teve suas primeiras baterias nesta terça-feira (19), na Praia da Cacimba do Padre, na Ilha de Fernando de Noronha. Há 12 anos o evento não era realizado no arquipélago e era aguardado com ansiedade por toda a mística que envolve o local, na questão ambiental, qualidade de ondas e a tradição – são 33 edições até hoje.

O retorno acontece como etapa status QS 6000, com US$ 130 mil em premiação, sendo US$ 25 mil ao vencedor. Logo nas duas primeiras baterias, foram definidos os dois rivais que enfrentarão a maior estrela do campeonato, o bicampeão mundial Gabriel Medina, com estreia prevista para esta quarta-feira no final da manhã.

O maior ídolo do surf brasileiro compete em Noronha como treino para a temporada 2019 do CT e já tinha como adversário o talento local, Patrick Tamberg, grande conhecedor dos tubos da Cacimba. Na primeira bateria, o costarriquenho Tomas King foi o primeiro colocado, à frente do havaiano Benji Brand e do francês Adrien Toyon, e garantiu vaga na bateria mais aguardada até agora.

“Um amigo meu me disse que se passasse em primeiro o enfrentaria, mas não estou pensando muito nisso. Só quero fazer o meu surf. As ondas estão boas e quero me qualificar ao CT e sei que preciso avançar”, disse o atleta da Costa Rica, de 23 anos.

No segundo confronto, só entre brasileiros, o potiguar Mateus Sena foi o segundo colocado e também foi o escalado para enfrentar Medina. Para o jovem talento de apenas 16 anos, atual campeão brasileiro amador sub16 e sub18, um sonho se realizando. Em seu primeiro QS 6000 – antes só havia competido no QS 1500 na Argentina – ele não esconde a ansiedade de estar ao lado de seu maior ídolo.

“Essa é a primeira vez num QS 6000 e é uma oportunidade incrível, porque tem vários atletas da elite. Estou muito feliz em ter passado a bateria e saber que vou pegar o Gabriel só me motiva. É meu maior ídolo, vou realizar um sonho de competir com ele e quero avançar com ele. Só de estar ali dentro d’água vai ser incrível. Estou numa fase boa e acho que o próximo round vai ser melhor ainda”, falou o atleta de Natal.

Mas o grande nome do dia foi o paraibano radicado no Rio de Janeiro, Samuel Igo, que teve uma performance perto da perfeição nos tubos da Cacimba, somando incríveis 19 pontos de 20 possíveis, com direito ao primeiro dez do evento, muito comemorado por todos na areia.

Ao sair do mar, o atleta de 25 anos era cumprimentado a cada passo, sempre retribuído com um grande sorriso. “Está demais. Fico um pouco tímido, não sei lidar com essa situação, mas feliz demais pela minha atuação, de estar conectado com a onda. Sem dúvida um dos momentos especiais da minha vida e, por ser Noronha, tem um gostinho a mais”, falou o competidor, vice-campeão do QS de Itacaré em 2018.

“O primeiro dez em Noronha e no QS a gente nunca esquece, ainda mais no nível que está com muito atleta bom. Agora não posso colocar pressão em mim. Tive sorte e competência de pegar aquela onda. Sei que tudo pode acontecer, mas a expectativa é ir lá e fazer o meu trabalho. Não penso em entrar para fazer outro dez. Se vier, ótimo, mas quero passar a bateria”, completou o surfista, que nasceu em Baia da Traição e com 13 anos mudou para o Rio de Janeiro onde vive até hoje.

Deixe um comentário