Notícia esportiva em primeiro lugar!

Personagens de uma partida disputada no dia 6 de março de 1980

bo 80helioOs personagens de uma partida disputada no dia 6 de março de 1980, no estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro, valendo pelo campeonato brasileiro poderia ter sido um simples acontecimento Mas o evento ganhou um cunho de grandes proporções devido o Botafogo de João Pessoa derrota o Flamengo de Zico e companheiro.

Depoimento de Magno

Você fez parte daquele jogo histórico contra o Flamengo, que agora está completando 35 anos neste dia 6. Que recordações você traz daquela partida¿ Pra mim mesmo é uma sorte, primeiramente ter a sorte de vestir a camisa do Botafogo e posteriormente, a Paraíba. Aquilo era um orgulho pra mim e ainda mais enfrentar o Flamengo naquela época, dentro do Maracanã com aquele timaço que foi campeão do Mundo, na época. Mas o nosso time era muito forte, que vinha jogado há dois anos juntos e tinha líderes como Nicácio, José Eduardo, Marquinhos, Gerahilto, caras que fizeram grandes feitos. E estar ao lado desses monstros sagrados me enaltecia como pessoa, como desportista e como torcedor do Botafogo.

‘O antes da partida. Nós tínhamos um comandante que dava tranquilidade a todos nós. E nós, enquanto jogadores de futebol profissionais, estávamos em todos os aspectos prontos, fisicamente, tecnicamente, taticamente e psicologicamente. O resultado acho que foi merecido. Quem foi ao Maracanã sabe que nossa equipe teve personalidade, o que é essencial em qualquer esporte’.

Continuando Magno afirma que durante o jogo, “o torcedor questionando e o Botafogo dando a ordem no gramado. Eles nos consideravam um time pequeno e nós mesmo tínhamos noção do quanto eramos jogadores profissionais representando uma capital como João Pessoa, um Estado. E até nos surpreendemos como a nossa equipe era rica de talentos.

Ao falar do sentimento de voltar à Paraíba depois de ter desbancando o Flamengo, ele disse “o esporte em si é disciplina e com ela, se consegue o êxito. Foi isso que aconteceu com a gente. Até hoje não caiu a ficha dos atletas do Flamengo que perderam aquela partida pra gente”.

A verdade é que Magno não esconde a felicidade depois de 35 anos contar esta história. “Agradeço a Deus, nosso protetor, que me deu novamente esta oportunidade de pisar novamente o gramado do maior centro esportivo da capital, recontando alguns valores que vivenciem ao lado de colegas como Marquinho, Nicácio, Beca. Isso nos fortalece a estar dentro do esporte. Esperamos que novos torneios e campeonatos de veteranos sejam realizados”.

Depoimento de Nicássio

Nicácio fez parte ao lado de Magro desta história contra o Flamengo. Ele nos conta essa emoção. “Eu estou revivendo que passamos com aquela geração. Eu me sinto feliz quando eu venho à João Pessoa e quando sou reconhecido por amigos s torcedores. Pode ser que tenha alguém mais preparado fisicamente, mas mais feliz não”.

Ele recorda que, no dia antes de jogar contra o Flamengo, o que passava na cabeça de cada jogador de Botafogo. “Aquele time de 1980 era um time maduro. Um time que tinha Hélio Show no gol, o próprio Nonato. Na parte defensiva, tínhamos Marquinhos que foi revelação do campeonato Brasileiro e que logo depois foi contratado pelo time do Vitória. Getúlio, Evilásio e Soares que já tinham passado pela equipe carioca. Era uma equipe que enfrentava de igual para igual qualquer time. Perder ou ganhar era consequência do jogo”.

Nicássio afirma “eu tenho tudo gravado na minha mente. Já se passarem 35 anos, mas eu tenho todos os detalhes guardados, dos momentos que antecederam o jogo, da preleção do nosso técnico Caiçara que foi um dos grandes responsáveis pela nossa vitória diante do Flamengo. Porque ele não inventou nada, até mesmo porque não éramos jogadores com capacidade de movimentar lá atrás. Ele simplesmente chegou e falou se a gente tomar uma goleada do Flamengo não tem problema nenhum. Mas se a gente vencer vai ser um impacto no Brasil todo. E a vitória foi gradativa dentro de campo. Jogamos de igual para igual”.

Depoimento de Marquinhos

O lateral Marquinhos releva como foi fazer parte do time de 1980 principalmente da vitória  histórica contra o Flamengo. “Realmente foi um marco importantes nas nossas vidas, já que naquela época para um time do nordeste vencer um time como o Flamengo, dentro do Maracanã, era uma missão muito difícil. E nós, através daquele clube, conseguimos esse feito e vencemos por 2 a 1, naquela espetacular partida que fizemos e saímos vencedores”

Depois daquele jogo e de outras partidas Marquinhos seguiu uma careira, deixando o Botafogo para atuar entrou clubes brasileiros.  “É, naquele ano, eu fiz uma campanha muito boa e inclusive tive meu nome indicado a prêmios e com isso, consegui elevar o meu nome e do Botafogo e Vitoria, Bangu, Náutico”.

Ele conta que durante aquele jogo o que foi que prevaleceu foi “a humildade da equipe. Enquanto que o Flamengo entrou muito confiante de que conseguiria uma vitória fácil. Enquanto nós entramos com determinação e vontade e conquistamos a vitória. Eu era um garoto com 22 anos e tive ajuda de vários jogadores experientes com passagens em outras grandes equipes que me orientaram e quando chegamos aqui fomos recepcionados com uma grande festa para a torcida do Botafogo e pra toda João Pessoa”.

Depoimento de Eudes Toscano

“Na minha vida profissional foi um momento importante. Importante porque foi um jogo que ficou marcado na história do futebol da Paraíba. Depois dele, tive a oportunidade de conversar com o próprio Zico sobre aquela partida e ele me confessou que era um jogo que não saia da cabeça dele. E que dentro do campeonato, fora da decisão, a equipe carioca só perdeu para o Botafogo da paraíba”.

Eudes Toscano revela que alguns jornais do Rio de Janeiro tinham manchetes falando em goleada de 11 a 0, para o Flamengo. “O Jornal dos Esportes fez humor com a certeza que tinha da vitória do Flamengo com uma charge com um cara com um saco com 11 bolas, que representaria o placar Flamengo11, Botafogo 0. O técnico paraibano, Caiçara chegou a participar de um programa de televisão, na época, na Tv Tupi, e na ocasião afirmou ao apresentador Zé Cunha que foi ao Rio de Janeiro para ganhar do Flamengo. E assim foi. Sou torcedor do Flamengo e do Treze, mas naquele dia eu era Botafogo. Era a Paraíba, nosso povo sendo representado no Rio de Janeiro”.

O narrador Eudes Toscano que trabalho ao lado do repórter João de Sousa, também fala de sua expectativa durante a partida. “O início do jogo foi meio claudicante para o Botafogo tanto que apertou muito para o goleiro Hélio Show, que teve muito trabalho naquele dia e que foi nossa salvação. Mas no segundo tempo, o Botafogo se transformou. A esperança é que o primeiro tempo fosse 0 a 0, então o segundo tempo foi só emoção. Eu não lembro mais os tempos dos gols, mas lembro que o primeiro gol do Botafogo pelos pés de Soares, Tita empatou a partida. E Zé Eduardo pegou de fora da área e aos 39 minutos, definiu o placar”.

Deixe um comentário