Notícia esportiva em primeiro lugar!

QUARTETO EM DECISÃO: Conheça os pontos fortes – e as fragilidades – das quatro equipes que disputam o título de campeão paraibano

Depois de dois turnos com jogos de ida e volta, o Campeonato Paraibano – enfim – conhece os seus semifinalistas. Os duelos entre os rivais de Campina Grande (Treze e Campinense) e o clássico mais equilibrado de João Pessoa dos últimos tempos (Botafogo e CSP) prometem emoções fortes a partir da próxima terça-feira.

Quatro equipes, cada uma com seus pontos fracos e fortes, enfrentam o desafio de chegar a grande final do Campeonato Paraibano 2013.

CSP

O clube caçula de João Pessoa foi o último a garantir vaga para as semi. Se falta experiência dentro de campo ao jovem time – basicamente formado nas categorias de base – sobra experiência no banco de reservas para o comandante Ramiro Sousa, que já avisou: “O CSP não tem mais o que perder”.

De fato, o discurso de Ramiro é de quem sabe como poucos os caminhos para se dar bem no futebol paraibano. Ele ganhou tudo como jogador nos tempos de Botafogo, e como treinador, já coleciona duas Copas Paraíba e um campeonato da segunda divisão.

O grande trunfo do Tigre da Capital é o atacante Soares. Mesmo grandalhão, Soares tem boa técnica, experiência de ter jogado fora e frieza quando fica na cara do gol. E o CSP vai precisar da pontaria de seu artilheiro, já que precisa reverter a vantagem do Belo, que pode jogar por dois resultados iguais.

Além da desvantagem no confronto, outro ponto negativo para o CSP é o fato do time, mesmo contando com a simpatia de todos, ainda não possuir uma grande torcida.

Botafogo

Maior campeão paraibano de todos os tempos, o Belo luta este ano para quebrar o jejum de nove anos sem gritar é campeão. O time chega a semifinal com o favoritismo por ter uma equipe recheada de bons jogadores e uma torcida que promete apoio em massa.

Dentro de campo a equipe comandada por Marcelo Vilar conta com dois trunfos em posições estratégicas do time. No gol o paredão Genivaldo dá segurança e confiança para o grupo. E no ataque o artilheiro da competição até aqui com 14 gols, Warlei, é a grande esperança da torcida.

Mas o Belo precisa apagar a péssima imagem deixada no segundo turno quando o time acabou na penúltima posição. De quebra ainda perdeu para o Treze na ultima rodada a chance de primeiro no geral, e poder, assim, ter a vantagem de jogar contra o mesmo Treze em uma possível final do campeonato.

Campinense

Com o status de melhor time da Paraíba até o momento, o Campinense entra fortíssimo para o duelo que promete estremecer a Rainha da Borborema. Tudo por conta do bom futebol apresentado no primeiro semestre, quando a raposa conquistou o inédito título da Copa do Nordeste.

Técnica, velocidade e forte marcação. O Campinense do estrategista treinador Oliveira Canidé possui de tudo um pouco e o resultado dessa mistura é uma equipe que já provou que pode jogar de igual para igual contra grandes times do futebol brasileiro, o Flamengo é um exemplo.

Apontar os destaques do time não é tarefa das mais fáceis, já que seus jogadores são cobiçados por times de vários lugares do Brasil. Mas o ídolo da torcida, o goleiro Pantera, o líder e capitão Roberto Dias e o meia Bismarck, talvez sejam hoje o retrato do novo Campinense. Um time que vence os jogos enchendo os olhos de quem assiste.

Mas o time precisa reverter a vantagem do Galo poder jogar por dois resultados iguais. Em se tratando de clássico dos maiorais, onde o equilíbrio é muito grande, a desvantagem poderá pesar contra a raposa no final.

Treze

Se o Campinense tem a fama de melhor equipe, o Galo conquistou no campo o título simbólico de melhor da competição até aqui, já que passou o Botafogo na pontuação geral na última rodada do segundo turno.

Porém, o Treze deste ano se caracteriza por ser um time de altos e baixos, o que tem deixado a torcida com a pulga atrás da orelha. O Galo é capaz de aplicar uma goleada épica no Campinense de 4 a 0, porém, perder pontos para os rebaixados Paraíba e Cruzeiro.

Dentro de campo o time comandado pelo experiente e badalado técnico Vica mostra um futebol de raro brilho, mas de muita eficiência. Destaque para o meia Daniel Costa e o matador Thiago Chulapa – vice artilheiro do campeonato com 12 gols.

Enfim, para quem gosta de apostar, as cartas estão na mesa. Já quem gosta de fortes emoções é só comparecer aos estádios. Quem vai ganhar com isso é o futebol da Paraíba.

Até às finais!

Por Maxwell Oliveira, estudante de comunicação da UFPB

Deixe um comentário