Notícia esportiva em primeiro lugar!

Zebras disputam o título e vaga no Mundial de Clubes

Resta apenas uma partida para decidir a Liga dos Campeões da África: o segundo jogo da final entre o Entente de Sétif, da Argélia, e o Vita Club, da República Democrática do Congo. Em jogo está não só a glória continental, mas também a chance de representar a África na Copa do Mundo de Clubes da FIFA no Marrocos em dezembro. As expectativas estão ligeiramente inclinadas ao representante da Argélia, que obteve um valioso empate em 2 a 2 em Kinshasa no primeiro jogo. Em casa, o time joga por uma igualdade de até um gol contra o Vita para ganhar o troféu que conquistou pela última vez em 1988.

O jogo
Ambos os clubes buscam o título pela segunda vez, já que o time congolês ganhou em 1973, além de ter sido vice em 1981. O Vita Club precisa vencer a competição para jogar a Liga dos Campeões da próxima temporada depois de terminar em terceiro no campeonato nacional. O time da República Democrática do Congo dominou o primeiro jogo, mas precisou buscar o resultado duas vezes para garantir um empate merecido. Surpreendentemente, os atacantes Ndombe Mubele e Yunus Sentamu passaram em branco, o que levou o técnico Florent Ibenge a reclamar. “Certamente temos bons atacantes, mas em um grande jogo é preciso ter grandes jogadores, e no primeiro jogo não foi o dia deles”, observou. O Vita viajou para a Argélia na quarta-feira com um plantel de 20 jogadores.

Por sua vez, o técnico do Entente, Kheireddine Madoui, terá o plantel completo com o retorno do artilheiro El Hedi Belameiri, que disputou apenas uma parte do primeiro jogo devido a uma lesão. “Começamos a aventura africana, eu os meus jogadores, quando ninguém acreditava em nós”, disse Madoui. “É verdade que não temos experiência, mas pode acreditar que amadureci durante a campanha.”

Sábado é um dia importante na história da Argélia, pois marca o início da revolução de 1954, que culminou com a independência da Argélia. “A escolha da data da partida não é acidental”, prosseguiu Madoui. “A diretoria do clube fez questão de marcar este encontro para o 60º aniversário do início da revolução. Os jogadores precisam ser inspirados pelo espírito dos heróis de novembro e estar prontos para a batalha, porque os argelinos esperam que eles vençam.”

Depois de vencer os dois jogos em casa nas fases classificatórias, o Entente decaiu na fase de grupos e empatou os três jogos diante da sua torcida. No entanto, conquistou uma vitória importante de 2 a 1 em casa contra o Mazembe nas semifinais, abrindo assim as portas para a final do campeonato. O Vita Club, por outro lado, não teve uma boa campanha fora de casa: perdeu três jogos e empatou dois. Mas os duelos longe de casa que valeram alguma coisa – o penúltimo jogo do grupo contra o Zamalek e a semifinal contra o Sfaxien – resultaram em vitórias. Nem tudo está perdido para a equipe, que também pode se consolar com o fato de que, em oito das 20 vezes em que o primeiro jogo da final acabou em empate, o time fora de casa no jogo de volta ganhou o título.

Fique de olho
Para o Entente, a matemática é simples: se não tomar nenhum gol, ganhará a Liga dos Campeões da África. Apesar de que há muitas outras possibilidades que podem levar ao sucesso, o principal objetivo do goleiro Sofiane Khedairia é manter a meta invicta. O arqueiro nascido na França recentemente ressaltou a importância do evento. “A Copa do Mundo de Clubes seria o auge da minha carreira, apesar de eu ter apenas 25 anos. É um campeonato que eu costumava acompanhar pela televisão quando ainda era criança. Seria fantástico realmente fazer parte dele.”

O número
53 — Os jogos que o Entente de Sétif disputou na história da competição. O clube ganhou 26, empatou 12 e perdeu 15 vezes. Se vencer ou empatar em até um gol a sua 54ª partida, obterá o segundo título.

O que eles disseram
“Ainda temos a chance de ganhar o troféu, e é o que faremos na Argélia. Dominamos o primeiro jogo e criamos muitas oportunidades. Também acho que a sorte virou as costas para nós e sorriu para os nossos adversários. Mas vamos dar tudo para chegar em casa com a taça.” Florent Ibenge, técnico do Vita Club.

FIFA

Deixe um comentário