Atletismo

Alison dos Santos conquista ouro histórico nos 400m com barreiras

Andy Astfalck/BSR Agency/Getty Images

O Piu conquistou a medalha de ouro ao completar a prova em 46s29, novo recorde da história do campeonato

Alison dos Santos confirmou o favoritismo na disputa da final dos 400 metros com barreiras do Mundial de Atletismo de Eugene, nos Estados Unidos, e fez história no final da noite dessa terça-feira (19/7).

O Piu, como é chamado o brasileiro de 22 anos, conquistou a medalha de ouro ao completar a prova em 46s29, novo recorde da história do campeonato e melhor marca de um atleta da modalidade neste ano, superando os 46s80 anotados por ele mesmo na etapa de Eugene da Diamond League.

Os americanos Rai Benjamin, com 46s89, e Trevor Bassitt, com 47s39, ficaram com a prata e o bronze, respectivamente.

Alison venceu a prova com tempo de 46seg29. Ele ficou mais de meio segundo a frente do americano, Rai Benjamim – terminou a prova com 46s89. Trevor Bassit, dos Estados Unidos, fechou o pódio, ficando em terceiro com 47s39 – mais de um segundo atrás do brasileiro.

Desde 1985 com atletas competindo, o Brasil tem agora 13 medalhas em mundiais ao todo. O título de Alison foi o segundo do Brasil na história da competição, sendo o primeiro na pista. O único título do atletismo brasileiro em Mundiais tinha sido com Fabiana Murer no salto com vara, no Mundial da Coreia do Sul, em 2011.

___________________

___________________

Com isso, encerra-se o jejum de medalhas para o País. A última foi o bronze do Caio Bonfim na marcha atlética em 2017. Essa é a segunda vez que um brasileiro conquista uma medalha de ouro no Mundial de Atletismo. A primeira veio na edição de 2011 com Fabiana Murer no salto com vara.

Alison dos Santos tem apenas 22 anos, mas está em momento crescente na carreira. Em 2019 foi campeão dos Jogos Pan-Americanos, em Lima. Ano passado foi medalha de bronze nos Jogos Olímpicos de Tóquio.

___________________

___________________

Só que 2022 é o grande ano de Alison em sua carreira. Disputou quatro provas da Liga Diamante (Diamond League) e uma competição de abertura de temporada nos Estados Unidos e venceu todas.

Levou a sua invencibilidade para o Campeonato Mundial onde levou a melhor nas baterias de quartas de final e semifinal. E na prova decisiva liderou a prova já partir dos 100m rasos, e depois do erro do atual campeão olímpico norueguês Karsten Warholm quando se chocou com uma das suas pernas na barreira, Piu partiu rumo a vitória com grande diferença para os demais adversários. Uma vitória que o coloca no nome dos grandes atletas do atletismo brasileiro. 

Clique para comentar

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.