Automobilismo

Carro BAJA SAE de universitários da UFMG figura entre os cinco melhores do mundo

A equipe Baja UFMG da Universidade Federal de Minas Gerais conquistou a 5ª colocação, com 835,48 pontos, na classificação geral da Baja SAE Rochester, realizada neste fim de semana – 6 a 9 de junho -, em Rochester, Nova York, nos EUA. A campeã da competição foi a equipe canadense McGill Baja Racing, da McGill University, com 886,16 pontos.

Realizada pela SAE International, a tradicional competição de carros off road projetados e construídos por universitários, contou com a participação de 90 equipes das Américas, Índia e Emirados Árabes, de um total de 100 inscritas.

A equipe Baja UFMG conquistou, ainda, o 3º lugar na prova de Manobrabilidade e 8º no Enduro de Resistência. Também representaram o Brasil em Nova York as equipes UFSC Puma, da Universidade Federal de Santa Catarina; e FEI Baja, do Centro Universitário da FEI, de São Bernardo do Campo, São Paulo, que conquistou a segunda colocação na prova de Design.

Na classificação geral as equipes FEI Baja (782,26 pontos) e UFSC Puma (710,92 pontos) conquistaram, respectivamente, a 12ª e 20ª posições. Confira neste link a classificação das demais equipes – http://bajasae.net/content/2013_Rochester_Scores1.xlsx

Ronaldo Bianchini, gerente de Seções Regionais e Programas Estudantis da SAE BRASIL, afirma que a pista preparada para o Enduro de Resistência estava para carros velozes, uma forte característica dos Baja SAE, do Brasil, porém a variação constante entre pista seca e molhada, por causa do excesso de chuva, provocou fadiga em componentes de transmissão da potência do conjunto powertrain. “Com isso, as equipes brasileiras enfrentaram algumas paradas nos boxes para manutenção dos veículos”, diz.

As equipes brasileiras Baja UFMG, FEI Baja e UFSC Puma ganharam o direito de representar o Brasil nos Estados Unidos após conquistarem, respectivamente, as três melhores colocações na 19ª Competição Baja SAE BRASIL-PETROBRAS, realizada em março deste ano, em Piracicaba (SP), com a participação de 68 equipes do País.

Histórico – O Brasil já venceu quatro vezes a competição realizada pela SAE International na América do Norte: em 1998, com a equipe da Universidade Federal do Rio Grande do Norte; e em 2004, 2007 e 2008, com alunos da FEI.

Carros – Os Baja SAE são protótipos de estrutura tubular em aço, monopostos, para uso fora de estrada, com quatro ou mais rodas, motor padrão de 10 HP e capacidade para abrigar um piloto de até 1,90m de altura e até 113,4 kg de peso. Os sistemas de suspensão, transmissão, freios e o próprio chassi são desenvolvidos pelos próprios estudantes de engenharia, que são orientados por professores das instituições de ensino que representam.

O programa – O Baja é o primeiro programa estudantil de capacitação organizado pela SAE BRASIL. Nele os estudantes se organizam em equipes que, sob a orientação de um professor desenvolvem os veículos com o qual irão competir representando a sua instituição de ensino.

Além da construção do protótipo em que praticam o conhecimento adquirido em sala de aula, as equipes são responsáveis por atividades como atendimento de prazos, busca de suporte financeiro para viabilização do projeto e custeio de despesas, entre outras tarefas com as quais se defrontarão no mercado de trabalho.

“As competições estudantis da SAE BRASIL proporcionam aos futuros engenheiros a oportunidade de por em prática as teorias aprendidas nas salas de aula e, assim, desenvolver capacidades e a paixão necessárias a uma boa formação profissional”, afirma o engenheiro Ricardo Reimer, presidente da SAE BRASIL

Clique para comentar

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.