Baú SóEsporte

Edmundo no Amigão

O BAÚ SOESPORTE localizou uma foto do atacante Edmundo, um dia antes do amistoso entre Brasil 1×2 Uruguai, amistoso disputado no estádio Amigão, em Campina Grande, no dia 25 de novembro de 1992. Na imagem, o jornalista Franco Ferreira entrevista Edmundo, no final do treino de reconhecimento do gramado, ao lado de torcedores e autoridades.
A ficha técnica do jogo, com informações do cgretalhos:

Brasil 1×2 Uruguai
Data: 25/11/1992
Local: Estádio Amigão – Campina Grande-PB
Árbitro: José Clizaldo
Público: 13.510 pessoas
Brasil: Gilmar; Luís Carlos Winck (Vítor), Válber, Ronaldão e Roberto Carlos; César Sampaio (Palhinha), Júnior (Silas), Raí e Zinho (Elivélton); Edmundo e Evair (Nilson). Técnico: Carlos Alberto Parreira
Uruguai: Siboldi; Da Luz, Sanchez, Moas e Cabrera; Ostolaza, Moran, Saralegui e Peletti; Guerra e José Garcia (Carlos Sanchez). Técnico: Luis Cubilla
Marcadores: Edmundo (Brasil); Cabrera e Guerra (Uruguai)

Em 1992, o técnico do selecionado brasileiro era Carlos Alberto Parreira, tendo ao seu lado o inseparável Zagallo, na função de Coordenador Técnico. Nos dias que antecederam a partida, a Seleção na Paraíba era o principal assunto da mídia, talvez em virtude disso, os organizadores do jogo elevaram em demasiado os preços dos ingressos, fato este que no dia da peleja, fez com que o Estádio Amigão não recebesse um público digno de duas seleções vencedoras de mundial como são Brasil e Uruguai, atitude essa, que recebeu críticas até na imprensa nacional, quando um jornalista relatou os preços abusivos.

Como é de conhecimento, a cidade de Campina Grande é famosa por seus grandes eventos turísticos, portanto, não foi novidade o convite feito a alguns jogadores da Copa de 1950 para que fossem homenageados no jogo pelo Governador da Paraíba (Ronaldo Cunha Lima) e o Presidente da CBF (Ricardo Teixeira). Foi o caso de Ademir Menezes, o artilheiro da Copa de 50.

O grande motivo de orgulho, porém, ainda mais para os torcedores do Treze Futebol Clube, foi a homenagem feita a Antônio Fernandes Bióca, que teve a honra de dar o pontapé inicial do jogo. Para os de memória curta, ou os que não sabem mesmo, Bióca foi um dos fundadores do Treze e um dos maiores incentivadores do futebol paraibano.

Iniciada a partida, a Seleção Brasileira começou jogando muito bem, chegando a abrir o marcador logo aos 4 minutos de jogo com um belo gol de Edmundo. Entretanto, após o começo forte o time brasileiro chegou a ser medíocre, sem entrosamento e acima de tudo, perdendo muitos gols, inclusive com a bela presença do excelente goleiro uruguaio.

O Uruguai, time que seria adversário do Brasil nas Eliminatórias da Copa de 1994, começou a contra-atacar até tomar em definitivo, as rédeas da partida, culminando com uma reação espetacular e virando o jogo para 2 a 1, com gols de Cabrera, após um chute forte (42 minutos do 1º tempo) e finalmente com Guerra, que chutou entre Ronaldo e Winck, fazendo o gol da vitória uruguaia.

Será que a presença de jogadores brasileiros da Copa de 1950, fez com que os “Deuses do Futebol”, repetissem o célebre placar do Maracanã? Não sabemos, porém, a imagem da bela festa ficou nas lembranças dos desportistas paraibanos e a Seleção Brasileira, até a presente data, nunca mais voltou aos gramados paraibanos.

Clique para comentar

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.