Especiais

Freitas recorda conquistas como treinador na Paraíba

Em entrevista de meia hora, na Rádio Sosporte o treinador Freitas Nascimento falou de suas recordações de uma época de conquistas como treinador no futebol da Paraíba. Ele comandou Botafogo PB, Treze e Campinense. Como jogador ele chegou a jogar no Santos-SP, Fluminense-RJ, Bahia-BA, Fortaleza-CE, Alecrim-RN e ASA-AL, mas não atuou em nenhum time paraibano.

Foto – internet

Baiano do interior, Natalízio Freitas Nascimento nasceu na cidade de Ipirá, mas despontou no Itabaiana-SE e depois rodou o Brasil como atacante. Mas, foi n o ASA de Arapiraca-AL, onde ele marcou 158 gols, que virou eterno ídolo. Freitas também foi destaque no Bahia e Alecrim. E no Fluminense ele foi reserva de Dorval, maior destaque do tricolor carioca. De lá, Freitas por não jogar, foi emprestado ao Bahia, se transformado em ídolo do tricolor de aço.

A história de Freitas Nascimento, na condição de treinador no futebol paraibano, começou pelo Botafogo na época que o clube era presidido por Flávio Rodolfo Lima. Ele fez um bom trabalho ficando com o vice-campeonato de 2000. A boa campanha rendeu o credito de ser contratado pelo Treze.

No Galo da Borborema, Freitas foi bicampeão paraibano, na temporada de 2001. No jogo de ida, em Campina Grande, o placar foi 1 a 1 e o Botafogo jogava pelo empate. Mas, na partida final, o Treze ganhou do Botafogo por 2 a 0, no estádio Almeidão, em João Pessoa, com gols do zagueiro Maurício e do atacante Rincón.

Foto – internet

Mas, uma das conquistas mais comoradas por Freitas foi no Campinense, sendo campeão em 2008 e colocou time rubro-negro na Série B do Campeonato Brasileiro. Ele recorda um fato marcante na campanha que levou o Campinense para classificação. Foi uma vitória por 1 a 0 contra o ASA-AL, em Arapiraca, gol do lateral direito Fábio Santana.

No primeiro tempo, o ASA mandou na partida, mas no intervalo Freitas descobriu que o presidente da Federação Alagoana de Futebol estava mantende contato com o árbitro. Surgiu uma grande confusão. Freitas invadiu o vestiário da arbitragem e na etapa final o árbitro apitou na bola.

O Campinense vencia por 1 a 0, quando o goleiro Pantera foi expulso. Nova confusão e Freitas provocou o lateral Rafinha do ASA que também foi expulso e o jogo ficou equilibrado, com o Campinense saindo de Alagoas com a vitória e seguindo para para o acesso à Série B.

Clique para comentar

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.