Colunistas

JOSÉ ROMILDO DE SOUSA E A HISTÓRIA DO FUTEBOL DE PATOS

JOSÉ ROMILDO DE SOUSA E A HISTÓRIA DO FUTEBOL DE PATOS

No ano de 2008, o historiador e desportista JOSÉ ROMILDO DE SOUSA lançou o seu livro intitulado Álbum do futebol + 90 minutos – A HISTÓRIA DO FUTEBOL DE PATOS, 2ª edição, ampliada e revisada pela editora Sal da Terra, com 380 páginas e prefaciado por Flávio Sátiro Fernandes. A sua obra é muito rica e reconstitui passo a passo o desenvolvimento do futebol em uma cidade economicamente muito importante para o nosso estado. O surgimento das equipes amadoras, os abnegados desportistas e os campos onde se desenvolviam os jogos estão didaticamente dissertados em suas páginas em preto e branco.

O livro mostra vários campos de futebol surgindo na morada do sol, todos com a sua devida importância para o desenvolvimento do esporte bretão naquela região, mas foi o campo do Ginásio Diocesano que teve destaque maior. Aquele educandário teve em sua direção o Padre Manuel Vieira que o dotou de excelentes condições para a época; todo murado, com vestiários e pequena arquibancada. Ali ocorreram grandes jogos locais e interestaduais, contra o ABC Futebol Clube e Associação Cultural e Desportiva Potiguar, ambos do Rio Grande do Norte; Central Sport Clube de Caruaru e Sport Clube do Recife, pernambucanos e São Cristóvão de Futebol e Regatas e a Associação Atlética Portuguesa, equipes cariocas.

O livro nos informa com detalhes a esperada inauguração do estádio Municipal José Cavalcanti, ocorrida no dia 29 de novembro do ano de 1964, em um jogo de portões abertos entre o Nacional Atlético Clube e o Esporte Clube de Patos. A partida foi vencida pelo Canário do sertão, por 2 x 1, com dois gols marcados pelo atacante Dissor, Nego descontou para o Patinho. O novo estádio, até hoje é a maior praça esportiva daquela cidade, passando no decorrer dos anos por várias reformas e ampliações. O autor, com conhecimento de causa relata em seu livro os árbitros, os cronistas, a Liga Patoense de futebol, personagens folclóricos, causos locais, o futebol feminino, os dirigentes e a eterna rivalidade entre os alvirrubros e os alviverdes. Também nos chama a atenção a riqueza das suas fotografias ilustrativas. Uma verdadeira viagem no tempo.

Fica claro no livro que a rivalidade entre as duas equipes provocou e promoveu o surgimento de grandes atletas no município, como Araponga e Mário Moura, que jogaram em Portugal. Clóvis, Dissor, Lulú, Erasmo, Messias, Edmundo, Lamar, Washington Luís e tantos outros que o autor cita em suas páginas. Personalidades como Zeu Palmeira, Virgílio Trindade e Inocêncio Oliveira e tantos outros abnegados dirigentes que contribuíram com o crescimento do futebol naquela região. Finalmente, as campanhas de seus clubes no campeonato paraibano e em competição nacional. Os esperados títulos estaduais da primeira e segunda divisão. Um sonho realizado e bastante comemorado em toda região sertaneja.

Com esse trabalho de pesquisa imensurável o autor, que é membro do Instituto Histórico e Geográfico de Patos e da Academia Patoense de Artes e Letras conseguiu documentar e preservar para as gerações futuras o surgimento e crescimento do futebol em sua terra natal.

Para nós torcedores, cronistas e desportistas paraibanos ficou a certeza de que o escritor JOSÉ ROMILDO DE SOUSA, o popular “Romildo”, escreveu o seu nome com tintas douradas e perpétuas na brilhante história do futebol paraibano.

Por Serpa Di Lorenzo

Causos & Lendas do Nosso Futebol

Clique para comentar

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.