Futebol

Léo Moura lembra títulos da Copa do Brasil, memórias no Maracanã e momento no Botafogo-PB

Léo Moura lembra títulos da Copa do Brasil, memórias no Maracanã e momento no Botafogo-PB

Lateral-direito volta ao estádio em que foi campeão da Copa do Brasil duas vezes, agora com o time paraibano; alvinegro enfrenta o Fluminense nesta quarta

Léo Moura lembra títulos da Copa do Brasil, memórias no Maracanã e momento no Botafogo-PBLéo Moura lembra títulos da Copa do Brasil, memórias no Maracanã e momento no Botafogo-PB
Créditos: Thais Magalhães/CBF

A relação de Leonardo Moura com o Maracanã é praticamente uma história de amor. Natural do Rio de Janeiro, passou grande parte de sua vida no futebol carioca e moldou sua carreira no principal palco do estado. A identificação maior foi pintada de vermelho e preto, já que ele passou dez anos intensos defendendo o Flamengo. No clube da Gávea, venceu o Campeonato Brasileiro, vários Cariocas e duas Copas do Brasil. Em 2020, o lateral-direito de 41 anos aceitou um novo desafio no Botafogo-PB para tentar continuar sua vitoriosa caminhada. Por coincidência, retorna ao lugar que lhe deu tantas alegrias contra um adversário já muito conhecido.

Nesta quarta-feira (4), o Belo encara o Fluminense, às 19h15, no Maraca, em partida é válida pela segunda fase da Copa do Brasil. Na primeira etapa, o time paraibano avançou após empate em 0 a 0 contra o Atlético-BA. O objetivo é apenas um: fazer história e levar a vaga na bagagem de volta para casa.

– Voltar ao Maracanã é sempre especial. Ainda enfrentando o Fluminense que é uma equipe que respeito muito, tive uma passagem por lá e que tem jogadores muito bons. Estamos em um momento diferente e queremos tentar uma classificação na Copa do Brasil. A ansiedade é grande por voltar a jogar no Maracanã, agora representando o Botafogo-PB em um novo projeto. Espero que possa dar tudo certo. Todos os confrontos contra o Fluminense sempre foram marcantes. Com os muitos anos jogando pelo Flamengo, sempre foi um grande rival. Todo jogo contra eles é sempre muito bom.

Depois de sua saída do time rubro-negro, seu retorno ao palco foi em 2017 justamente contra o Tricolor carioca em uma Copa do Brasil. O frio na barriga ao subir o túnel do Maracanã ainda não sumiu. Mesmo depois de tantos jogos, decisões, vitórias e derrotas naquele gramado, a sensação ainda é a mesma da primeira vez. Com memórias carregadas de sentimentos, Léo fala sobre a expectativa para voltar a fazer o caminho já tão familiar.

Cheio de memórias, Léo Moura voltará ao Maracanã, desta vez com a camisa do Botafogo-PBCheio de memórias, Léo Moura voltará ao Maracanã, desta vez com a camisa do Botafogo-PB
Créditos: Thais Magalhães/CBF

– Toda vez que vim jogar no Maracanã, lugar que estive por muitos anos representando o Flamengo, é sempre diferente. Todo mundo sonha em jogar lá pela primeira vez, meus principais títulos foram ali dentro, minha despedida do Fla. É sempre uma emoção diferente quando vai chegando perto do estádio, independente do jogo. Só de entrar neste estádio, o palco que todos querem jogar, é um sentimento diferente. Até hoje tem aquele frio na barriga, mesmo com 41 anos. Tem aquela ansiedade antes das partidas.

O lateral tem uma história longa e vitoriosa com a Copa do Brasil. Bicampeão, ele lembra com carinho dos jogos que o marcaram tanto. O clássico que decidiu o título de 2006 foi especial, pois ali Léo Moura vencia uma final pela primeira vez. Com a vantagem por 2 a 0 da ida, a volta foi nervosa, mas o Fla conseguiu vencer o Vasco por 1 a 0 e fez a torcida explodir de felicidade.

Em 2013, já consolidado como ídolo do Rubro-negro, a emoção foi diferente, mas não diminuiu. Com mosaico nas arquibancadas e o estádio completamente lotado, o Flamengo vinha de empate por 1 a 1 com o Athletico-PR fora de casa e queria vencer em sua casa. Com gols de Elias e Hernane, o apito final deu a Léo sua segunda taça, mas desta vez com a faixa de capitão no braço. Sentiu o peso da taça, gritou aos céus e levantou o troféu junto aos companheiros.

– O primeiro título é sempre muito marcante. Em 2006, aquela ainda foi a minha primeira taça mesmo. Os títulos te marcam bastante. Em 2013 eu já era capitão da equipe. Ganhar uma final é muito marcante, poder levantar um troféu no Maracanã é mais ainda. Esses momentos com certeza estão guardados na minha memória e no meu coração. Vou levar para o resto da vida.

Bicampeão da Copa do Brasil, Léo Moura lembrou suas conquistas junto à réplica da taçaBicampeão da Copa do Brasil, Léo Moura lembrou suas conquistas junto à réplica da taça
Créditos: Thais Magalhães/CBF

Apesar de nunca ter morado na Paraíba, o jogador já se sente em casa no Botafogo. Recebido com muita festa desde seu anúncio, ele desembarcou em João Pessoa no fim de janeiro e começou a trabalhar com o novo grupo, recebendo muito carinho por onde passa. Sua estreia com a nova camisa foi no dia 8 de fevereiro, diante do Náutico, na vitória por 2 a 1 pela Copa do Nordeste.

– Estou extremamente feliz. Confesso que me causou uma grande surpresa, pois nunca tinha morado na Paraíba. Vamos para jogar às vezes, mas nunca tinha aproveitado e vivido ali. O povo da Paraíba é muito receptivo e carinhoso, estou conseguindo viver isso dentro do Botafogo. A diretoria e o grupo de jogadores me receberam de uma forma muito especial. Preciso dar algo diferente para eles. Preciso dar sempre o meu melhor para retribuir o que eles têm feito por mim.

A situação de Léo Moura em 2020 é um pouco diferente da que ele está acostumado. Além de lutar por sua terceira taça da Copa do Brasil, a primeira do Botafogo-PB, ele também jogará o Campeonato Brasileiro Série C pela primeira vez, buscando o tão sonhado acesso para a B.

– Tenho que retribuir isso dentro de campo. O principal objetivo e que a torcida mais pede é o acesso (para a Série B), escuto isso desde que cheguei. Eu nunca joguei buscando um acesso, pois sempre joguei em Série A durante a carreira. Então é um desafio muito grande e eu quis aceitar isso. Tinha propostas de outros clubes de divisões superiores, mas eu queria esse desafio na carreira. Pude conquistar todos os títulos que um jogador quer aqui no Brasil, então estou muito focado e animado para isso.

A Copa do Brasil está na reta final da segunda fase e, como é padrão na competição, contou com muitos jogos emocionantes, principalmente pelas classificações inesperadas. No Maracanã nesta quarta-feira, o Botafogo-PB pode não ser o favorito contra o Fluminense, mas entrará em campo com a certeza de que entregará muita luta.

– Temos visto grandes surpresas nesse início de Copa do Brasil, todo ano temos essas “zebras” com as equipes menores, em que o futebol ainda não é muito visto como é nos grandes centros. É bom dar oportunidade para esses clubes, é uma competição muito bacana, charmosa. Alguns times têm feito história. Tomara que agora possa ser a nossa vez no Maracanã contra o Fluminense.

Vivendo um novo desafio no Botafogo-PB, Léo Moura quer ganhar títulos e conquistar o acessoVivendo um novo desafio no Botafogo-PB, Léo Moura quer ganhar títulos e conquistar o acesso
Créditos: Thais Magalhães/CBF

Clique para comentar

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.