Aquáticos

Local de Baía Formosa/RN, Ítalo Ferreira vence etapa do WSL em Peniche-Portugal

Com nota 10 na final, Ítalo Ferreira é o grande campeão em Portugal. – instagram

Título mundial fica para o Havaí

A próxima e derradeira etapa acontece no Havaí, a partir do dia 8 de dezembro. Ítalo Ferreira, Gabriel Medina, Jordy Smith e Filipe Toledo são os postulantes ao título. Desses, apenas Medina já foi campeão mundial, em duas oportunidades: 2014 e 2018.

Aéreo nota 10!

Um sábado perfeito para o brasileiro Ítalo Ferreira. O potiguar venceu a décima etapa do campeonato mundial da WSL, em Peniche, Portugal, sem dar chances para os rivais e de quebra, assumiu a liderança do ranking.

A final foi contra o sul-africano Jordy Smith, o único dos quatro surfistas que podem conquistar o título mundial no Havaí, em dezembro, que não nasceu no Brasil. Além de Ítalo Ferreira, ainda estão na briga Gabriel Medina e Filipe Toledo.

Ítalo Ferreira começou a bateria decisiva mostrando que a tarefa do sul-africano ia ser muito difícil e logo na segunda onda, mandou um aéreo muito alto, perfeito, que lhe rendeu uma nota 10, a primeira do evento. O brasileiro seguiu tentando os aéreos e conseguiu outra boa nota, um 7.83, colocando Smith na combinação.

Jordy Smith até que tentou reagir e tirou um 6.17, mas nada que o recolocasse na briga para valer. Entretanto, Ítalo Ferreira seguia dominante e em outro aéreo aumentou o seu somatório ao marcar 8.43 e ficar com o somatório de 18.43, em 20 possíveis. E ainda faltavam 15 minutos de bateria.

Sem novas grandes ondas, coube aos dois surfistas esperarem a buzina decretar a vitória do brasileiro, a quinta na elite. Ítalo Ferreira vai para o Havaí com a lycra amarela, que determina o líder do ranking. Jordy Smith assumiu a terceira posição, atrás de Gabriel Medina.

Brasileiro destruiu os adversários

O dia de Ítalo Ferreira começou com a disputa das quartas de final, contra o australiano Jack Freestone. O potiguar abusou dos aéreos e conseguiu um 9.67, ainda no começo, jogando pressão para o rival, que devolveu com um 8.60.
Porém, o brasileiro resolveu esperar uma onda da série.

Enquanto isso, Freestone achou uma boa onda e marcou 8.27. Mas logo em seguida, veio a resposta brasileira com um 8.83. O placar final ficou em 18.40 contra 16.87.

Duelo brasileiro

Na semifinal, Ítalo Ferreira enfrentou o paulista Caio Ibelli, do Guarujá. A bateria foi a mais disputada e teve um show de batidas, de ambos os surfistas. O potiguar, começou melhor e lançou uma nota 8.

Ibelli respondeu de forma agressiva, com muita agressividade e encaixou duas ótimas ondas, ambas julgadas com 7.43. Porém, Ferreira não se intimidou e teve paciência para esperar uma boa onda e também agredir a onda com boas batidas. A nota? Idênticas às do compatriota: 7.43.

Caio Ibelli precisava de um 8 para avançar à grande final e tentou um aéreo. Como ele não acertou, a prioridade foi para Ítalo Ferreira, que soube jogar e segurou o adversário, para garantir a vaga na decisão.

terra

Clique para comentar

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.