Notícia esportiva em primeiro lugar!

Clubes não completam elenco

Faltando pouco mais de 30 dias para o início do Campeonato Paraibano da 1ª Divisão de 2012, nenhum dos dez clubes completou o elenco, nem possui um atleta considerado ‘bilheteria’. Mesmo assim, Treze, Botafogo e Campinense prometem contratar jogadores de impacto, para completarem seus respectivos grupos. Nacional e Esporte de Patos são os clubes com maiores dificuldades para armar seus times.

O Campeonato Paraibano, de acordo com a tabela divulgada em dezembro pelo departamento técnico da Federação Paraibana de Futebol, começa no dia 5 de fevereiro, com quatro partidas. A primeira rodada será completada no dia seguinte, com o jogo entre Flamengo Paraibano r Campinense, no estádio da Graça, em João Pessoa.

Dos quatro clubes de João Pessoa com presença assegurada nas disputas do Paraibano da Primeira Divisão, apenas o Botafogo está praticamente com o elenco fechado. Mesmo assim, o treinador Suélio Lacerda ainda pretende contar com mais dois zagueiros, um meia e um jogador de ataque.

O gerente de futebol do clube alvinegro da Maravilha do Contorno, Carlinhos Lira, concorda que é necessário contratar os jogadores solicitados pelo treinador Suélio Lacerda. Ele, no entanto, lembra que o clube tinha como certa a chegada dos zagueiros Léo e Mauro, e do atacante Diego, fato que acabou não acontecendo.

Botafogo adota cautela

“Nosso elenco estaria completo, caso esses jogadores estivessem cumprindo as negociações. Agora não adianta ficar pensando nisso. Vamos buscar os atletas que o treinador Suélio Lacerda pretende contar na próxima temporada”, enfatiza Carlinhos Lira, assegurando que as novas contratações serão concretizadas nos primeiros dias deste ano.

“A torcida é quem vai indicar o melhor jogador do elenco. Este ano, a diretoria do Botafogo resolveu não ‘eleger’ o conhecido jogador bilheteria’. Todos os contratados terão que mostrar empenho e, quem se destacar, com certeza terá o reconhecimento dos torcedores”, completou o gerente de futebol do Botafogo.

Fla paraibano prefere trabalhar com os ‘pés no chão

Para o treinador do Flamengo Paraibano, Washington Lobo, a realidade do futebol paraibano não suporta um jogador considerado ‘bilheteria’, aquele que atrai torcedores para os estádios. Apesar disso, ele afirma não ser contrário a contratação de ‘estrelas’.

Conhecedor do futebol regional – se destacou como volante atuando pelo Botafogo, Treze, América de Natal e Auto Esporte -, o treinador Washington Lobo garante não ter feito qualquer indicação de um jogador ‘estrela’. “Na verdade, não estou preocupado com esse assunto. Minha obrigação é armar um time competitivo, que tenha condições de representar bem as cores do Flamengo. Se a diretoria decidir contratar um jogador ‘bilheteria’, estarei ponto para recebê-lo”, observou o técnico do time rubro-negro de João Pessoa.

Raposa reforça o marketing

Há três anos sem conquistar títulos, o Campinense aposta na profissionalização do departamento de marketing do Clube para atrair parceiros e voltar a montar equipes competitivas. Para isso, o rubro-negro conta com o trabalho da empresa de marketing esportivo potiguar 10SPORT e com a contribuição de velhos conhecidos do torcedor raposeiro, como o gerente de futebol e ex-jogador do clube Cartola, Marquinhos Mossoró e o treinador Freitas Nascimento. Freitas foi responsável por dirigir a equipe que conquistou o último título da Raposa, o Campeonato Paraibano de 2008, assim como a ascensão à Série B do Campeonato Brasileiro no mesmo ano.

A limitação financeira criada pelo período de inter-temporada é a maior dificuldade do Campinense no momento de montar o grupo de jogadores. Segundo o gerente de futebol da rubronegro de Campina Grande, Marquinhos Mossoró, oferecer condições de trabalho para os atletas é o seu maior desafio. “A receita dos Clubes no início da temporada é mínima e isso dificulta nosso trabalho. Como fui jogador, sei exatamente o que os atletas precisam para realizar um bom trabalho. Tento mostrar para a diretoria como esse investimento será refletido dentro de campo para dar a condição necessária aos atletas”, disse o ex-jogador, Campeão Estadual com o Campinense em 2008 e um dos responsáveis pelo acesso a Série B no mesmo ano.

Busca por convênios e patrocinadores De acordo com o coordenador de Comunicação da Raposa, Thiago Melo, o início das temporadas depende da contribuição de colaboradores. “Como não temos capital acumulado do início do ano, dependemos do auxílio financeiros de colaboradores para montar o elenco que nos representará no ano seguinte. Para manter o time nos primeiros meses de trabalho ficamos a mercê de convênios com a prefeitura municipal e o governo do estado”, destacou.

Ainda conforme Thiago, a contratação da 10SPORT vem para suprir essa ausência financeira. “A empresa de marketing é responsável por angariar patrocinadores e agregar ideias de retorno a curto, médio e longo prazo para o clube, como o novo projeto de sócio-torcedor que estamos elaborando na tentativa de estreitar os laços entre torcida e Clube e gerar mais renda”, adidantou o coordenador de Comunicação da Raposa Para a disputa do Paraibano, o Campinense contratou oito jogadores que já disputaram o Campeonato Estadual. Dois desses atletas integraram o elenco Campeão Paraibano em 2008 pelo Clube, são eles: o goleiro Pantera e o atacante Marquinhos Marabá. Outros atletas como o zagueiro Ben Hur e o atacante Warley, ex-Treze, são considerados reforços de peso para a Raposa que ainda conta com os já conhecidos Sérvulo (goleiro), Daniel, Luciano Totó e Henrique (volantes) e com o trabalho do técnico Freitas Nascimento.

CSP investe nos atletas da base

Trabalhar com os jogadores considerados ‘prata de casa’. É com essa filosofia que o treinador Ramiro Sousa vem trabalhando no Centro Sportivo Paraibano (CSP). Ele reconhece ser importante contar com um jogador de referencia, porém, afirma que não é fácil encontrar um atleta que se enquadre dentro das condições financeiras do clube.

“Não tenho dúvida de que qualquer treinador espera contar com atletas experientes e a torcida fica empolgada com o jogador de renome. Porém, a diretoria do CSP sempre trabalhou com os ‘pés no chão’ e não deve se arriscar em trazer este tipo de atleta. Temos um grupo forte, mantivemos a base de 2011 e. com certeza, o CSP vai lutar pelas primeiras colocações, tendo um não o jogador ‘bilheteria”, disse Ramiro Sousa, destaque do futebol paraibano em 2011.

Elenco do Auto está incompleto

O Auto Esporte ainda não completou seu elenco, mesmo tendo a responsabilidade de representar a Paraíba na Copa do Brasil de 2012. Além disso, a meta do alvirrubro de João Pessoa é brigar pelas primeiras colocações no Campeonato Paraibano do próximo ano.

Ciente da responsabilidade, a diretoria automobilista estuda a possibilidade de contratar um jogador ‘bilheteria’ para motivar a torcida, principalmente, na partida contra o Bahia, dia 7 de março, na estria dos dois times na Copa do Brasil.

A diretoria do Auto Esporte, porém, procurar esconder o nome do possível jogador ‘estrela’. Para o gerente de futebol do alvirrubro de João Pessoa, Severino Maia (foto), o sigilo vai continuar até que a diretoria automobilista acerte a contratação do jogador que chegará com o objetivo de motivar a torcida. “Na realidade, todo bom time tem um jogador que serve de referência e o Auto Esporte estuda esta sim possibilidade. Por enquanto, vamos trabalhar com o elenco que temos”, revelou o dirigente do time automobilista.

Correio da Paraiba

Deixe um comentário