Automobilismo

Competição SAE BRASIL Demoiselle estreará com 11 equipes inscritas

A mais nova competição SAE BRASIL Demoiselle estreia dia 1º de setembro com 11 equipes inscritas, todas formadas por estudantes de ensino médio de escolas públicas e privadas de São José dos Campos, Jacareí e Botucatu. Algumas equipes já testam as pequenas aeronaves para a competição, que será realizada no Ginásio Poliesportivo da ADC Embraer, em São José dos Campos, SP.

Para participar, as equipes, que somam cerca de 100 estudantes, foram desafiadas a projetar, construir e fazer voar uma aeronave de pequeno porte, propulsionada à hélice e movida pela torção de um elástico, seguindo regras estabelecidas pela SAE BRASIL, disponível no site www.saebrasil.org.br.

Com esta competição, a SAE BRASIL tem por objetivo disseminar o interesse e conhecimento da engenharia e de técnicas de projeto aeronáutico, em particular a partir do fascínio e atração que a aviação exerce sobre o homem.

São José dos Campos – a cidade será representada por 8 equipes, uma delas a Ayr Picanço, formada por nove estudantes da Escola Estadual Ayr Picanço, e que levará um monoplano feito em madeira balsa e papel filme. “Também pretendemos utilizar materiais reciclados de sucatas na construção”, adianta Chang Yu Ming, capitão da equipe e primeiranista do ensino médio. A lista das demais equipes segue anexa.

Botucatu – Botucatu será representado por duas equipes: a Dom Lúcio, da Escola Estadual Dom Lúcio Antunes de Souza; e a equipe Ipanema, do Colégio Embraer – Casimiro Montenegro Filho.

Composta por 10 alunos do 1º ano, a equipe Ipanema também já faz testes de vôo na aeronave, construída com madeira balsa, cola bastão e papel filme. Os estudantes levarão duas hélices, uma de plástico e outra em madeira balsa, que pode ser moldável. “Nossa equipe está se esforçando bastante para vencer”, diz Nathália dos Santos Barbosa, capitã da equipe.

Jacareí – Única representante de Jacareí, a equipe Águias de Papel, formada por 10 estudantes do Colégio Resende, optou pela fibra de carbono na construção do protótipo, por ser um material leve e resistente. Animada, a equipe se prepara para os testes da aeronave. “Todos da equipe se interessam pela física e pretendem seguir engenharia, por isso estamos muito empolgados para a competição que é uma grande novidade para a escola”, comenta a capitã Danielle da Silva Reis, estudante do 1º ano.

Projetos – Construídas em madeira, papel ou outro material, as pequenas aeronaves devem pesar no mínimo 7 gramas, terem no máximo 40 cm de envergadura (distância entre uma ponta de asa a outra) projetada, hélices de 23 cm de diâmetro máximo e estrutura capaz de suportar a força que o elástico faz sobre ela ao ser torcido por várias centenas de voltas até o lançamento, feito a mão. O desafio é fazer a aeronave, não controlada, voar maior tempo possível numa área delimitada. A equipe que obtiver o maior tempo de voo durante a competição sagrar-se-á vencedora. Além de troféu, os integrantes da equipe vencedora poderão acompanhar, na área vip, a 15ª Competição SAE BRASIL AeroDesign, agendada para 24 a 27 de outubro, no Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA), em São José dos Campos, SP. As segunda e terceira colocadas receberão medalhas.

Demoiselle – Os aviões monoplanos (uma hélice) deverão ser construídos e testados antes da competição. Para a construção será permitido o uso de madeira, papel, filme plástico, cola, fibra de carbono e fibra de vidro, linha, arame, tubo plástico, elásticos, além de qualquer material denso para o lastro (se necessário para balanceamento). O elástico utilizado nos voos oficiais será fornecido pela organização. Cada equipe terá um intervalo de 55 minutos para realizar, no mínimo, três voos.

O termo “Demoiselle” é uma homenagem da SAE BRASIL ao segundo avião projetado e construído por Alberto Santos Dumont, menos conhecido que o 14 Bis, mas cuja concepção estrutural é considerada excepcional, vindo a influenciar, no começo do século 20, toda a então indústria da aviação, especialmente a europeia.

Demais competições – A SAE BRASIL realiza mais três competições estudantis, estas voltadas para estudantes de graduação em engenharia: a Baja SAE, em que estudantes projetam e constroem veículos off-road; SAE AeroDesign, que estimula o projeto e construção de aeronaves em escala reduzida; e Fórmula SAE, voltada ao desenvolvimento e construção de carros tipo Fórmula a combustão ou elétricos. As três competições seguem os padrões da SAE International e as equipes vencedoras têm conquistado brilhante espaço para o Brasil nos Estados Unidos, onde são realizadas.

Para Ricardo Reimer, presidente da SAE BRASIL, o objetivo maior do conhecimento tecnológico está no processo de inovação e de introdução de novas tecnologias para sua utilização sistêmica, com fins econômicos e sociais. “É essa a filosofia que a SAE BRASIL adota em suas competições estudantis, que desafiam os estudantes de engenharia à ousadia e à criatividade aplicadas aos projetos desenvolvidos por eles”, afirma.

Clique para comentar

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.