Futebol

No Rei Pelé, CRB vence o Londrina e deixa o Z4 da Série B

No Rei Pelé, CRB vence o Londrina e deixa o Z4 da Série B
Medindo forças pela 8ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série B, CRB e Londrina entraram em campo na noite desta quarta-feira, no estádio Rei Pelé. E o Galo levou a melhor. Ainda na etapa inicial, Anselmo Ramon garantiu mais um triunfo aos alagoanos, tirando o time das últimas posições na competição nacional.

Com o resultado, o time comandado por Daniel Paulista chegou aos 7 pontos, pulando para a 16ª colocação. Por outro lado, a equipe comandada por Adilson Batista, por conta do revés, acabou estacionando na 13ª posição com seus 8 pontos.

Com as duas equipes se lançando ao ataque desde os primeiros minutos, o confronto mostrou-se bastante disputado até os 15 minutos. Tendo a primeira chance saindo dos pés de Marcinho, a favor do Tubarão, o goleiro Diogo Silva conseguiu fazer defesa tranquila no lance, seguido por algumas jogadas aéreas e de velocidade a favor do Galo, deixando Matheus Nogueira atento a cada jogada.

MANDANTES ABREM A CONTAGEM

Com o tempo passando, o Londrina chegava com mais perigo na área do CRB. Entretanto, apesar de impor seu jogo, aos 26 minutos, viu o time alagoano tirar o zero do marcador, após Fabinho fazer jogada boa jogada individual e acionar Anselmo Ramon, que sem marcação, mandou para o fundo da rede.

Em vantagem, a equipe alvirrubra animou seu torcedor nas arquibancadas do Rei Pelé. Sendo assim, até os acréscimos, chegou a ter outras boas chances de marcar, sendo a melhor delas com o autor do gol, mas o camisa 9 acabou não alcançando a bola após chute cruzado de Richard, dando a deixa para a arbitragem, momentos depois, mandar os jogadores aos vestiários.

LONDRINA TENTA O EMPATE

Adotando uma postura ofensiva na segunda etapa, a equipe de Adilson Bastista sabia que, além do adversário em campo, o tempo seria mais um obstáculo. Em duas boas chegadas, até meados dos 15 minutos, Caprini e Gabriel Santos deram trabalho ao goleiro Diogo Silva, principalmente na tentativa do camisa 11.

Percebendo o rival ditar o ritmo e ter mais ação, o técnico Daniel Paulista resolveu então promover algumas trocas em sua equipe. Por outro lado, vendo seu time pouco ter criatividade no ataque, foi a vez de Adilson apostar em algumas substituições.

Mesmo colocando gás novo, como o atacante Salatiel e o meia Luis, os paranaenses não mostraram poder de reação. Com isso, até os acréscimos dados pelo árbitro, o Galo apenas administrou o resultado até o fim para festa da torcida nas arquibancadas do Rei Pelé.

Clique para comentar

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.