Especiais

Projeto pioneiro oferece melhor condicionamento físico com oferta de musculação para crianças e adolescentes

Projeto pioneiro oferece melhor condicionamento físico com oferta de musculação para crianças e adolescentes

Uma iniciativa inédita que eleva a autoestima, torna a mente saudável, contribui para melhorar a qualidade de vida e proporciona a consciência corporal. Estes são alguns dos benefícios do projeto pioneiro Musculação Infantil, desenvolvido pelo Laboratório Pedagógico: Saúde, Esporte e Lazer que faz parte do programa de extensão do Departamento de Educação Física (DEF) da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB). A iniciativa oferece a crianças e adolescentes a partir de 11 anos aulas gratuitas de musculação, uma modalidade esportiva onde não é muito comum ver os mais jovens praticarem.

Coordenado pelo professor Andrei Lopes, especialista em musculação infantil e docente na Universidade desde 2012, o projeto tem quebrado paradigma e despertado nos mais jovens o gosto pela musculação. O professor lembrou que a musculação para crianças e adolescentes é recomendada pela Sociedade Brasileira de Pediatria e ressaltou que ainda há muito tabu em volta do tema, principalmente depois da decisão do Conselho Federal de Medicina de 1999 que havia rejeitado a prática de musculação para crianças.

A partir dessa decisão, Andrei Lopes, juntamente a alguns pesquisadores na área, conseguiram, em 2001, que o site do Conselho fosse atualizado com novas informações sobre a prática esportiva e não mais condenando a musculação infantil. “Hoje, em 2022, as pesquisas e a prática mostram que, quando bem orientada, a musculação é muito benéfica para os pequenos, desenvolvendo a consciência corporal, força, flexibilidade e coordenação motora. Isso sem falar nos benefícios para a sociabilização e saúde mental da criança” destacou o docente.

O docente ainda contou que um dos benefícios do projeto foi sentido pelo advogado Paulo Locatto, que tem três filhos e todos eles frequentam as aulas semanais de musculação infantil no Departamento de Educação Física. Um dos filhos de Paulo está dentro do espectro autista e, de acordo com ele, a musculação é uma grande aliada no progresso cognitivo do garoto. “Ele já havia praticado judô e gostava bastante, mas na musculação ele precisa se concentrar mais para realizar o movimento correto e, além disso, é algo que ele faz com outras crianças, observando o que elas estão fazendo e interagindo”, relatou.

Mesmo com uma aceitação maior, tanto no meio social como no científico, a musculação infantil continua causando certo estranhamento. Para o professor Andrei Lopes, “ver uma criança fazer uma série no supino é tão impressionante quanto raro”. Ainda sobre os benefícios da iniciativa, o professor enfatizou que “fisicamente, a musculação melhora a força, estimula o crescimento, melhora a densidade dos ossos, prevenindo lesões e até mesmo fraturas ou osteoporose no futuro”. Também é amplamente recomendada para o controle de peso corporal. Inclusive temos recebido muitas crianças com sobrepeso ou obesidade, indicadas por pediatras.

Além dos benefícios físicos, segundo o professor, também há aumento significativo da autoestima e melhora da imagem corporal, principalmente em crianças que não possuem afinidade ou que tiveram experiências negativas com esportes coletivos, pois não há comparação ou competição na musculação infantil. “A criança ou adolescente vivencia e percebe a cada treino, sua evolução e progresso”, disse Andrei.

O Laboratório

Também conhecido como Escolinha do DEF, o Laboratório existe desde o final dos anos 1990 e é coordenado pela professora Anny Dantas. Diversas modalidades são oferecidas como: artes marciais, natação, hidroginástica, futsal, musculação, atletismo, dança e ginástica. Tudo de forma gratuita e inclusiva. As aulas são ministradas por alunos da Instituição sob a supervisão de professores do curso, e acontecem todas às terças e quintas-feiras, com turmas pela manhã e à tarde.

Atualmente, o projeto de musculação infantil conta com 20 participantes, pois ainda está em fase de retomada no pós pandemia. Mas já foram atendidas mais de 100 crianças desde a sua criação. Para participar do projeto, os interessados, acompanhados de um responsável maior de idade, devem comparecer ao Laboratório Pedagógico no horário do projeto. A inscrição acontece em fluxo contínuo, podendo chegar em qualquer momento do semestre.

Clique para comentar

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.