Futebol

Você se lembra do árbitro Paulo Morais?

Nascido na então pacata e verde cidade de João Pessoa, precisamente no dia vinte e três de fevereiro do ano de 1958, ele teve o prazer de crescer no tradicional e desportivo bairro da Torre. Os seus pais o batizaram de Paulo Roberto Morais da Silva, mas para o mundo da bola ele ficou conhecido como o árbitro “PAULO MORAIS”.

Como todo jovem daquela saudosa época e principalmente aqueles que moravam na Torre, antigo celeiro de bons jogadores, Paulinho, como é conhecido no meio esportivo, bateu muita pelada em sua adolescência e logo se identificou com o alviverde Palmares Esporte Clube, equipe onde foi atleta e defendeu as suas cores por vários anos.

Quando foi em 1980, indicado pelo abnegado José Dimas de Medeiros, eterno presidente do Íbis Futebol Clube, o nosso homenageado teve a oportunidade que esperava e ingressou no quadro de árbitros da FPF – Federação Paraibana de Futebol.

Daquela data em diante, o nosso futebol perdia mais um atleta amador para ganhar um competente e regular árbitro de futebol. Paulo Morais estudou com afinco as regras do maior esporte do mundo, observou a atuação dos grandes árbitros do país e passou a executar esse conhecimento dentro das quatro linhas dos nossos gramados.

A sua performance, como árbitro central ou bandeirinha, o levou a participar de oito decisões do campeonato paraibano de profissionais, sempre atuando com zelo e precisão em suas decisões. A imprensa esportiva sempre reconheceu o trabalho dinâmico e discreto do árbitro Paulo Morais.

E como não poderia deixar de ser, Paulo Morais ingressou no seleto quadro de árbitros da CBF – Confederação Brasileira de Futebol, passando a mensalmente trabalhar em importantes jogos no norte nordeste deste rico país. Ele teve a oportunidade de apitar em quase todas as capitais dessas duas regiões. Em seu currículo, consta o registro de ter pertencido por dezoito anos como árbitro da CBF, o que é motivo de orgulho para o nosso futebol.

Quando foi no ano de 2002, Paulo Morais resolveu emudecer o seu apito e enrolar a bandeirinha que por muitos anos utilizou. A sua despedida ocorreu na cidade de Natal, em jogo envolvendo o América Futebol Clube e o Guarany Sporting Club, da cidade de Sobral, em partida válida pela segunda divisão do campeonato brasileiro.

Paulo Morais deixou a arbitragem, profissional, mas nunca abandonou o futebol, pois sempre esteve envolvido na organização de campeonatos amadores, jogos comemorativos e em eventos de equipes veteranas. Recentemente ele apitou o primeiro tempo do jogo máster, entre Auto Esporte e Boa Vista, realizado no antigo campo do Alto do Céu, em Mandacarú.

O seu antigo amor pelo Palmares Esporte Clube continua cada vez mais forte. Hoje, ele preside aquela agremiação amadora, que apesar da pandemia existente, ele e a diretoria vem executando várias ações em prol do alviverde do Bairro da Torre.

Outro orgulho na vida do nosso homenageado, foi o fato de ter ingressado por concurso público no quadro administrativo do Exército Brasileiro, instituição que ajudou a moldar o seu caráter e a obter excelentes companheiros de repartição. O trabalho e as constantes viagens o impediram de concluir o curso de jornalismo que na época ingressou.

Para nós cronistas, desportistas e torcedores, ficou a certeza de que o cidadão Paulo Roberto Morais da Silva, o popular árbitro PAULO MORAIS, escreveu o seu nome com tintas douradas e perpétuas na brilhante história do futebol paraibano.

______________________________________

SERPA DI LORENZO – Cronista, ex-auditor do TJDF-PB e delegado da Polícia Civil

Clique para comentar

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.